Desfiles de escola de samba 2019 e as mensagens que devem ficar além do carnaval

Vai-Vai

Começamos a falar da escola com um grande pesar. Grande campeã de carnavais, este ano, foi rebaixada. Logo no ano que trouxe para a avenida de São Paulo uma mensagem e estética tão impactantes.

A Vai-Vai retratou a luta dos negros por justiça e igualdade. Com o samba-enredo "Vai-Vai, o Quilombo do Futuro", a escola homenageou figuras como Barack Obama, Nelson Mandela e a vereadora carioca Marielle Franco, assassinada no ano passado.

Uma das alas, chamada "Eu Tenho um Sonho", trazia diversos cartazes que remetiam às lutas dos negros, que ao serem unidos, formavam uma foto da vereadora, com a frase "Marielle Presente!", hino de diversos movimentos sociais.

O samba também era muito forte e o trouxemos aqui para que possa entender melhor a mensagem da escola:

É que eu sou da pele preta quilombo do povo… Sou Vai-Vai um privilégio que não é pra qualquer um protegido e abençoado por Ogum

Axé… Eu sou a negra alma do Bixiga herança que marcou a minha vida tem que respeitar minha raiz o Orum vai desvendar toda verdade pra resgatar a nossa identidade das linhas que a historia apagou África a negra mãe da humanidade nas marcas de um passado tão presente a luta que Mandela ensinou é a força de lutar por nossa gente clamando a justiça de xangô

ô Inaê, rainha do mar Alodê, Iabá, Odoyá cuida de mim mamãe, leva meu pranto em seus braços o meu acalanto

Ecoa o grito forte na senzala nos olhos brilha um novo amanhecer Aruanda ê, Aruanda trago a força de palmares pra vencer demanda a liberdade é minha por direito não vamos tolerar o preconceito somos todos irmãos e a luz da razão vai nos guiar sorrir… “sim, nós podemos” sonhar pois temos um futuro pela frente punhos cerrados, a Saracura está presente.

Mancha Verde

Grande campeã de 2019, a Mancha Verde e com o samba-enredo “Oxalá, Salve a Princesa! A Saga de uma Guerreira Negra”, a escola usou seu desfile sobre a princesa africana Aqualtune para discutir escravidão, direitos de negros e mulheres e intolerância religiosa.

A escola representou cenas de tortura, resgatando a herança escravocrata brasileira. Acorrentou mulheres grávidas na avenida para falar sobre as escravas reprodutoras e também lembrou de Zumbi dos Palmares. Muitos simbolismos africanos na avenida.

Outras escolas também marcaram

Com protestos políticos e imagens de Marielle Franco, outras escolas também deixaram o seu recado:

E ai, o que achou? Quais escola fizeram um bom desfile? E qual mensagem deixaram?